Uma relação BDSM precisa ser baunilha para ser completa?

Já ouvi essa pergunta algumas vezes.

Acredito que uma relação não precise de uma definição, ela só precisa ser. Precisa sim satisfazer as necessidades e vontades dos envolvidos, mas caber em uma definição é outra história, e quem está preocupado com isso nunca terá tempo para fazer a sua relação ser plena. Seja ela uma relação BDSM ou originalmente baunilha.

Ver uma relação etiquetada com o nome BDSM é o mais comum e confesso que eu mesmo uso o rótulo, pois facilita a comunicação e o entendimento. Mas quando vale a pena dissecar o termo e ser prolixo o bastante como bom capricorniano que sou, então eu gasto o verbo e falo logo tudo o que penso a respeito… e infelizmente não vai caber neste post tudo o que eu gostaria de dizer sobre a definição de uma relação.

Vamos organizar então o que estamos falando…

É uma relação BDSM quando se há duas figuras fundamentais para tal, (no mínimo). Sendo o dominador e a submissa ou o sádico e a masoquista.

Falo de papéis feminino e masculino apenas pela minha opção heterossexual e obviamente existem dominadoras e submissos, mas eu entendo que você percebe meu ponto de vista ok?

Então, imaginamos que na relação BDSM os envolvidos usam de práticas ditas as criadas para fins de extração da alma BDSM… e isso inclui chicotes, velas, tortura, couro, latex, vibros, consolos, pregadores e toda a parafernália que usamos de brinquedos, ferramentas ou seja lá qual for o nome que você dá para eles.~

Aí vem algumas questões que para mim são fundamentais:

  1. Se há amor numa relação BDSM, o dominador vai conseguir açoitar a sua submissa?
  2. Na relação BDSM, os envolvidos fazem coisas “normais”?
  3. Se a submissa não amar o dominador, (normalmente acontece em relações que limitam-se em sessões) ela vai se dedicar de corpo e alma?

Minhas respostas para isso:

  1. Sim, vou conseguir açoitar e minha cumplicidade e envolvimento com toda a cena com ela, serão muito maiores. Entender a questão de castigo, dor, prazer relacionado a poder, pertencer, nexo de propriedade… é fundamental para sacar onde está o segredo disso e não fazer essa pergunta.
  2. Obviamente, as ditas coisas normais seriam ir ao cinema, andar de mãos dadas na rua, tomar um sorvete juntos, viajar com amigos que se descobrirem que vocês curtem um açoite e velas, vão sair correndo…
  3. Aqui, depende… Porque pode até ser que ela seja uma submáquina e ela consegue usar os recursos da sua submissão de forma efetiva mesmo não se envolvendo. MAS na minha opinião, temos 2 pilares fundamentais numa relação BDSM completa: confiança e envolvimento. Sem eles, é impossível dizer que se tem uma relação BDSM com profundidade.

Então uma relação BDSM é como qualquer relação baunilha, a não ser pelo botão de SM Mode: ON que faz com que alguns detalhes das práticas sejam trazidos à mesa… ou à cama… e claro, toda a postura que se exige de uma relação D/s, mesmo no dia-a-dia, onde a submissa é submissa…

Ainda não fiquei satisfeito com esse post. Aceito comentários e podemos discutir algo a respeito que tal?

 

 

10 Comments

  1. jessie says:

    Dom Draconiano, saudações!
    É Possível uma escrava em uma relação D/s amar seu Dono e ele a amar também, ou ele sabendo que a ama usa-la para realizar um fetiche que ambos tem em comum ele é capricorniano . Grata

    • DOM Draconiano says:

      Olá Jessie,
      é sim, o amor não impede qualquer prática e pelo contrário; garante maior envolvimento entre os dois. E ser capricorniano ou de qualquer outro signo não influencia em nada…

  2. Eduarda de LK says:

    ola Sr Dom Draconiano …. adorei seu post e gostaria e transcreve-lo em meu Blog, claro com as devidas referncias a ti … fico no aguardo de sua altorizaçao e compartilho da mesma opiniao que a sua … eu nao conseguiria me entregar totalmente sem me envolver com meu Dono … Grata
    saudaçoes Sm

    • DOM Draconiano says:

      Olá Eduarda, meus cumprimentos ao LK.
      Fique a vontade para publicar o conteúdo, só peço que mantenha os créditos com link.

      Saudações.

  3. Adriana says:

    Na sua resposta do item 3 vc diz que sem confiança e envolvimento nao se tem uma relaçao de profundidade…pode-se ter essa profundidade sem amar o outro?? E mais…sera possivel amar o dominador sabendo que ele tem varias submissas??

    • DOM Draconiano says:

      Olá Adriana, eu acredito que é possível sim se conseguir essa profundidade, mas é bem difícil, depende de outros fatores complexos que unem as pessoas sem o amor, apesar de difícil é sim possível.
      Amar um dominador que tem outras submissas não é difícil, primeiro ame o dominador, depois você vai entender que as outras submissas são “necessárias” ou não… depende dele, e se você o amar, vai entender que só depende dele.

  4. Ju says:

    Olá, vivo a seguinte situação, curto demais o bdsm,ja o meu parceiro sindo que só faz certas coisas para me agradar, não acredito que ele seja totalmente baunilha pois ele mesmo me diz que gosta de ser dominado, eis a questão o que fazer em uma situação desta procuro um universo muito além do que ele imagina, as vezes brigamos muito pois pensamos muito diferente. Mas idependente de tudo amo muito ele sei que é a pessoa certa pra mim…

    • DOM Draconiano says:

      Olá, eu já passei por uma situação um pouco parecida, mas apesar de estar muito envolvido, uma hora percebi que iria me faltar o bdsm de verdade lá na frente e poderia causar mais estragos se eu mantivesse a situação. É como eu dominador me envolver com uma domme que porque me achou interessante resolveu “ver no que dá” e acabou se envolvendo um pouco comigo também, aí mais a frente percebemos que ela vai querer dominar em alguns momentos e eu não vou dar espaço a isso… e ficamos numa sinuca.
      Creio que a melhor coisa a fazer é ser muito claro no que se busca e não se fazer concessões, porque um dia a coisa vai proo brejo e os dois vão se machucar com isso… e não vejo uma relação bdsm como uma relação que seja diferente da baunilha, no final, os dois se machucam, e fica um rombo difícil de fechar.

  5. pandora says:

    Dom Draconiano, saudaçoes!

    Comecei a acompanhar Seus posts e é sempre muito importante e agradável encontrar materiais bem escritos e com exposiçao de conteúdo de bom gosto e clareza, como este. Parabéns!

    Respeitosamente pergunto: É possível numa relaçao D/s com envolvimento afetivo bilateral, o botao de SM ficar em Mode:Off o tempo todo? Se sim, quais fatores poderiam gerar isso?
    Nao dominar uma sub poderia ser um modo de castiga-la?

    Agradecida.

    pandora:.

    • DOM Draconiano says:

      Saudações pandora, bem-vinda.

      Em meu entender é possível sim uma relação D/s com envolvimento afetivo bilateral, atualmente vivo um relacionamento assim e tudo é muito intenso e extremamente bom para as duas partes.
      E no meu caso não há um momento claro do mode-on às vezes tudo se mistura, mas acredito que na minha relação é justamente o que me faz feliz, poder viver todas as situações possíveis de uma relação BDSM sem que eu precise encenar, me manter preso a formalidades, itens do manual ou rituais que muitas vezes só burocratizam a coisa.

      Claro que montar uma cena com minha sub e fazer de uma noite algo BDSM extremo é algo que aprecio muito, mas namoramos como qualquer outro casal baunilha, com um diferencial que ao nosso ver é bem interessante: conhecemos o outro lado e praticamos sempre que dá vontade.

      Desligar o mode-SM-on eu creio que seja um pouco difícil no caso de um casal que se conheça desse meio. Porque trata-se de nossas preferências e isso acaba sendo latente em nossa relação.

      Saudações.

Trackbacks/Pingbacks

  1. Torna-se o dominador um submisso das vontades de outra pessoa? | DOM Draconiano - [...] Não vejo qualquer problema nisso, as pessoas fazem o que as tornam felizes e essa é a parte importante…

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *