Preconceito e exclusão no BDSM

Preconceito no BDSM: Um tiro no pé!

Mais respeito por favor!

diferenteEu sou um defensor ferrenho da causa BDSM sem preconceitos, justamente porque grupos como o nosso, sofrem preconceito e são estigmatizados justamente por não serem entendidos, ou por intolerância, ou simplesmente burrice mesmo, de quem os exclui.

Mas é impressionante a avalanche de babacas que põe fogo nas coisas e querem ver tudo arder, e depois eles reclamam que são vítimas de preconceito. Levantando uma bandeira de que “Nós BDSMers somos vítimas de preconceito mas somos super liberais, cabeça-aberta e blá-blá-bla” Acontece que esse mesmo povo, faz banca para apedrejar o primeiro que tiver alguma prática que eles não conheçam, ou que simplesmente não concordem… Se eles acham a prática estranha ou que “não se classifica no BDSM”, eles crucificam a pessoa que citá-la.

É curioso que a Teoria das Janelas Quebradas se aplique com tanta frequência, em tantos lugares… Se quiser saber do que eu estou falando, clique aqui e veja outro post meu a respeito.

Participei de uma crucificação dessas, vou explicar e em seguida copio abaixo o printscreen que fiz da crucificação no Facebook.

Todos que me acompanham, sabem que sou adverso à dominação virtual, pois sempre exponho minha opinião a respeito disso. Mas não critico ninguém que curta isso, e em dado momento, até resolvi perguntar para “dominadores” e “submissos/as” que curtem a “prática”, mas não me convenci de que isso seja algo válido pra mim. Ok para quem quer brincar de jogo bdsm virtual, mas pra mim isso não existe. Justamente porque posso ditar tarefas ou ordens à minha sub por telefone, e-mail ou whatsapp, mas ela já tem uma relação real comigo. Agora; ter uma “relação virtual” com alguém e ditar regras e tarefas é só engraçado pra mim, motivo de piada. MAS… veja bem, eu não exponho ninguém, nem acho que isso seja saudável.

Então, o sujeito escreve no Facebook que quer uma submissa para humilhá-la no whatsapp! Eu acho engraçado, mas não critico-o… E resolvo investir meu tempo para ler o que comentam… Imaginei que alguns iriam discordar, outros comentarem com seu ponto de vista, mas sou um homem de fé no ser humano, e não queria ter lido o que li, porque acreditava que o blá-blá-blá de que somos evoluídos no bdsm e tolerantes para respeitar as vontades estranhas do vizinho, era minimamente verdade. E; eu estava enganado… Claro!

Seguiu-se uma mensagem atrás da outra, ridicularizando o fulano. E ao final eu dei minha opinião.

Apaguei o nome de todos os envolvidos, por razões óbvias. E faço um convite aqui, para sermos mais felizes, tolerantes, menos preconceituosos, mais amáveis, que ensinemos de graça, sem esperar algo em troca, só pelo prazer de ter um meio mais saudável e organizado, justo e decente. Pois odeio esse meio insalubre em que estamos nos últimos anos… É tanta merda que fico pensando se ainda há algo que se salve na “nova geração” de nós mesmos.

preconceito-e-exclusao-no-bdsm

Respeitar para sermos respeitados, vamos praticar?

Eu vivo o que eu digo, e você?

Agora uma musiquinha que gosto, que é bem o tapa na cara de preconceituosos assim. Ah! Você não precisa concordar comigo, e sabe o que penso sobre isso? FODA-SE! Darwin citou uma teoria que cuida de consertar isso ;)

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *