Discussões um tanto estranhas sobre o BDSM

Ser submissa ou ser uma ursa?

Lendo uma discussão sobre o que é submissão e me deparo com isso abaixo:

“A ursa americana, qdo chega a época de acasalamento procura o macho mais forte e poderoso e o ataca. E ela luta o mais ferozmente possivel. Caso esse nao a domine e subjulgue nao a tera. Caso seja mais forte q ela e a derrote, essa tera condicoes de a defender o proteger, e a prole, alem do q ela faria so. Por a do.inar ela se sente, apesar de machucada, segura, confiante, solida.
Estar com quem a domina adiciona conforto. Soma. O queva domina adiciona e por isso ela se entrega”

Mantive os erros de “digitação”, e forma de escrita. Foi copy+paste mesmo.

E comentários assim me fazem pensar como as pessoas são estúpidas. Queria dizer muita coisa sobre isso, pois meu pensamento voa e urra por algo que fincaria uma estaca no peito de um apedeuta desses. Claro, sobre BDSM.

As pessoas insistem em procurar uma explicação, como que um pretexto por serem do meio. E é tão frequente o pensamento medieval (e olha que adoro contos medievais! Mas pensamento retrógrado não me cai bem…), que eu não sei se vomito ou se rolo de rir.

Bom, não vou escrever mais sobre isso neste post, só quis mesmo compartilhar minha desaprovação. Respeito pontos de vista, mas não concordo com este. Não temos nada de ursos. Fui educado, pensando na máxima que se não for uma crítica para adicionar algo, melhor me calar, mas a minha resposta para essa pessoa deveria ser mais ou menos assim:

-Cala a boca!

E tenho dito.

PS.: coitadas das ursas americanas submissas.

6 Comments

  1. Cristiana says:

    Já me passou essa alternativa pela cabeça. E sei que é o melhor caminho a seguir. Eu já havia conversado com meu namorado sobre meus desejos, e realmente esperava que ele ficasse ao meu lado, mas o que recebi dele não foi nada além de medo. Ele disse que não contaria a ninguém, mas não está a mesma coisa entre nós. Creio que encontrar alguém em quem confiar e que compartilhe as mesmas vontades vai ser complicado.

    • DOM Draconiano says:

      Eu não acredito em “converter” baunilha em bdsmer, pois acho que gostar disso, está além de um ritual, é preciso ver as coisas naturalmente. Mas já conheci pessoas que apresentaram o bdsm aos namorados ou maridos ou esposas baunilhas, e revelaram um lado bdsmer neles… Sugiro que você procure assistir uns vídeos mais leves com eles, uns filmes mais tranquilos, e ver a reação dele, pode ser que ele descubra que não é bizarro esse meio, tanto quanto pintam. E resolva experimentar contigo… Aqui no blog tem alguns filmes, o Juiz SM é um exemplo bom justamente desse caso, porque é um caso real de alguém que entrou pro SM neste caso, SM de sadomasoquismo, onde as práticas focam apenas na dor ou sofrimento, e ele entrou pro SM porque a esposa desejava… Assista e veja se seu namorado está aberto a conhecer essas coisas, se ele perceber que o sexo vai melhorar 500% quando ele começar a olhar para isso e praticar, talvez seja um empurrãozinho positivo.

  2. Cristiana says:

    Eu já experimentei alguns aspectos do BDSM. Mas adquirir completamente esse estilo de vida me dá certo receio. O medo que minha familia (super tradicional) descubra me impede de ir a diante. Mas as relações baunilhas não me satisfazem completamente. Algum conselho?

    • DOM Draconiano says:

      Olá Cristiana, este é um receio de muita gente, mas eu estou no meio há 16 anos e minha família nem sonha que estou nisso. Creio que o que você faz em sua intimidade não interessa a ninguém, e se você quiser manter isso em sigilo, não é difícil. E viver à sombra do que a família aprova ou não é péssimo, então eu no seu caso procuraria uma alternativa… Minha família não teria qualquer problema em saber sobre minhas práticas, mas não abro a eles porque não há a mínima necessidade. Até porque eu ser dominador não muda em nada minha relação com eles. E o que faço com meus pares, menos ainda. Não abro para não ter que ficar explicando o que muitos podem achar bizarro, e tenho preguiça só de pensar no trabalho que daria. Então preferi manter isso em sigilo.

  3. Silvia says:

    Adentrei no mundo do bdsm por curiosidade e percebi que eu gostava realmente e que quando se tem uma boa relação com o parceiro tudo se trata de troca de confiança. E saber que vc está em boas mãos.
    E todos esses preconceitos e pensamentos arcaicos chegam a irritar.

    • DOM Draconiano says:

      Pois é Silvia, é como achar que dommes têm que ser feministas… A questão de subjugar não está em ter que castigar os homens, mas algumas pessoas não entendem isso, simplesmente seguem “o fluxo”.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *